Os 4 A’s do controle de pragas: fique atento às práticas de prevenção

O melhor método para manter um controle de pragas eficiente é sempre estar atento às práticas e cuidados necessários para evitar a infestação. Isso vale para os mais diversos casos: seja em seu jardim, sua casa ou estabelecimento comercial, você deve voltar sua atenção a medidas simples, mas que evitam a presença de pragas urbanas. Por isso, vamos apresentar os quatro principais fatores que propiciam a proliferação de pragas urbanas, conhecidos como os 4 A’s.

1. Água

Um dos cuidados que devemos ter é com o acúmulo de água, pois pode ser o cenário perfeito para o surgimento de, por exemplo, mosquitos transmissores de doença como o Aedes aegypti, vetor da dengue, chikungunya e febre amarela. Deixar uma quantidade de líquido parado, principalmente em ambientes abertos, favorece os insetos no desenvolvimento de larvas. Essa situação pode também acabar fornecendo água para outras pragas, como ratos, pombos e morcegos.

Dicas:

  • Caixa d’água: a recomendação da ANVISA é de que as caixas d’água passem por um processo de higienização a cada seis meses. Para isso, você pode contar com o auxílio de uma empresa especializada. Além disso, é importante manter sempre o recipiente completamente tampado. 
  • Água da chuva acumulada: situação muito recorrente, por exemplo, no pátio e no jardim. Muitas vezes, objetos como potes, pneus, garrafas e vasos acabam acumulando água da chuva sem que percebamos. 
  • Outros locais favoráveis ao acúmulo: um local que precisa de revisão frequente é a calha: devemos remover folhas que estejam impedindo o escoamento, por exemplo. O mesmo cuidado vale para a piscina, que fica coberta em épocas como o inverno.

 

2. Alimento

Esse é um fator para o qual os donos de bares, restaurantes e demais estabelecimentos do ramo alimentício devem ter atenção dobrada. Os restos de alimentos e embalagens descartados de forma incorreta podem facilmente atrair ratos, baratas, moscas e outras pragas em grandes proporções.

Dicas:

  • Lixo: nosso foco deve estar em manejar e descartar corretamente os resíduos. A recomendação é sempre manter dois hábitos frequentes: a limpeza do local, para evitar o acúmulo de detritos, e também a remoção diária do lixo, em sacos fechados dentro da lata.
  • Caixas de gordura: recipientes muito propícios a pragas, devem ser limpas a cada 15 dias ou 3 meses (dependendo do ritmo de sua cozinha) e estar sempre bem tampadas.
  • Aparelhos: o fogão, a geladeira, o micro-ondas e os demais aparelhos devem receber limpeza frequente, pois podem estar sempre armazenando qualquer resto de alimento.
  • Em casa: devemos cuidar para não guardar comida estragada ou deixar restos de alimentos pelo chão, embaixo de móveis ou no pátio. As medidas corretas são sempre jogar o lixo na lata (utilizando sacolas) e manter as sobras de alimentos na geladeira.
             

3. Abrigo

Locais como gavetas, armários e também espaços entre aparelhos domésticos e a parede podem servir de abrigo para pragas urbanas. Escorpiões, baratas e ratos podem encontrar nesses locais escuros um espaço perfeito para viver e até mesmo reproduzir. Sem contar o grande risco que os móveis de madeira correm: infestação de cupins.

Dicas:

  • Limpeza: o essencial para evitar o surgimento das pragas em função da criação involuntária de um abrigo é manter limpos, arejados e monitorados todos os ambientes. Devemos ter foco principal em armários, verificando gavetas utilizadas com pouca frequência. 
  • Entre a parede e o móvel: o mesmo cuidado vale para os espaçamentos deixados pelos móveis de todos os cômodos. 
  • Outros espaços propícios: em estabelecimentos, o acúmulo de embalagens de plástico, papelão ou madeira também pode favorecer o surgimento das pragas. O escorpião, por exemplo, é um inseto que sempre busca espaços úmidos e escuros para viver. Em casa, devemos inclusive ter cuidado com calçados fechados que estão há muito tempo guardados. 
  • Buracos: aberturas, orifícios e frestas nas paredes também podem ser locais perigosos. O certo é lidar com esses problemas o quanto antes, para não criar a casa perfeita para as pragas.

 4. Acesso

O último dos 4 A’s trata da atenção que devemos ter às vias de acesso que podem servir para as pragas. Por exemplo: frestas de janelas, portas e no telhado e também redes de esgoto, podem ser caminhos para as pragas entrarem do ambiente externo para dentro da casa ou estabelecimento.

Dicas:

  • Frestas: tão importante quanto ajustar portas e janelas aos batentes, é estar atento à espaçamentos em telhados, calhas, exaustores e etc. Tampas da rede de esgoto também devem estar sempre ajustadas. 
  • Forro: locais forrados devem estar bem vedados para impedir o acesso à parte interna. Deve ser realizada limpeza com frequência para garantir que o local está livre de pragas.
  • Nos mínimos espaços: nos menores locais, as pragas urbanas também podem encontrar acesso para se abrigar, como, por exemplo em ralos, interruptores de luz ou saídas de telefone.

Para efetuar o controle de pragas, você deve contatar uma empresa especializada para realizá-lo. Não tente combatê-las com produtos químicos por conta própria, pois pode ser prejudicial a sua saúde. Deixe que o especialista resolva a situação e peça auxílio para identificar os possíveis pontos que podem favorecer a proliferação de pragas em sua casa ou estabelecimento. O melhor método é sempre estar prevenido.

Entre em contato com a Uniprag para resolver qualquer dúvida e aproveite para conhecer todos os nossos serviços.