Menu de Chefs brasileiros apresentam insetos

Assim como Ferran Adrià revolucionou a gastronomia molecular nos anos 90 ou a de Noma com a utilização de flores e plantas incomuns no menu, incluir insetos preparados com técnicas pioneiras para sofisticados menus está revolucionando a gastronomia brasileira.

Alex Atala, dono do restaurante D.O.M., foi o primeiro chef a quebrar o paradigma da alta gastronomia ao inserir insetos na dieta humana, quando serviu uma formiga amazônica em cima de um cubo de abacaxi em uma de suas sobremesas, ao preço de US$200.

Atala desenvolveu a experiência gastronomia no meio de seus estudos quando viajou para São Gabriel das Cachoeiras, região remota no Amazonas considerada uma das regiões com maior diversidade étnica de todo o planeta onde, de acordo com especialistas, os próprios nativos se alimentam de insetos.

“Uma senhora veio até mim e ofereceu uma tigela cheia de formigas. Eu achei o gosto maravilhoso, me lembrou gengibre”, disse o chef.

Região propícia

“Lá existem mais de 20 grupos indígenas e muitos deles consomem formigas, pois os insetos fornecem valiosa e saudável proteína animal. Nós ainda buscamos uma teoria que explique quando o consumo de formigas começou no Brasil. Mas a região de São Gabriel das Cachoeiras é provavelmente um dos locais onde começou, muito antes dos colonizadores chegarem à América”, disse Amir Von Held, pesquisador da Fundação Nacional Indígena (FUNAI).

Outras opções

Se você é resistente para insetos inteiros e se recusa a come-los, alguns restaurantes em São Paulo oferecem experiências mais suaves. O chef Paulo Yoller, dono da hamburgueria Meats, oferece um hambúrguer livre de gordura e feito a base de vinagrete de formigas.

Fonte: clique aqui