Chegam a R$ 2,7 bilhões os gastos com a dengue no Brasil

Pesquisadores de dez instituições internacionais e brasileiras calcularam o quanto a dengue pode custar, para os sistemas de saúde público e privado e também para a população, baseando nos dados de 2.035 pacientes infectados pela doença no ano de 2013.

De acordo com João Bosco Siqueira Junior,  um dos autores do projeto e professor do Departamento de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Goiás (UFGO), os gastos com dias perdidos de trabalho, deslocamento e alimentação para unidades de saúdes e outros encargos, entram nesse custo social.   

Gastos dos sistemas de saúde ficam em torno de R$ 1 bilhão por ano, enquanto as despesas indiretas da população com a doença chegam a R$ 1,7 bilhão, de acordo com a pesquisa.

"E temos de lembrar que nem todas as pessoas com a doença procuram as unidades de saúde. Portanto, o número de casos e, conseqüentemente, os gastos devem ser muito maiores", diz o especialista.

Os custos com internações hospitalares são de R$ 172 milhões e no caso das despesas com saúde, os maiores gastos são com procedimento ambulatoriais, em torno dos R$843 milhões.

Para Siqueira Junior, o governo federal deve considerar esses gastos para definir a efetividade de futuras estratégias de combate, como a compra de vacinas contra a dengue, ainda em fase de aprovação.

"A carga social da doença é muito alta. Esse valor equivale, por exemplo, ao dobro do que é investido com prevenção da dengue", diz Siqueira Junior que também enfatizou a importância do posicionamento do governo federal afim de definir a efetividade de futuras estratégias de combate.

Fonte