Carrapato: conheça e evite esta praga urbana

Parasita que parece inofensivo, o carrapato tem o tamanho aproximado de um grão de feijão e alimenta-se de sangue. Ele sobrevive por estar em constante contato com a pele de animais e também de humanos. Classificado como ‘praga urbana’, o carrapato pode causar diversas reações alérgicas, lesões na pele e transmitir doenças, além de infestar o ambiente.

Os dois tipos mais conhecidos são o carrapato estrela (Amblyomma cajennense), transmissor da febre maculosa que ataca humanos e animais, comum em capivaras e cavalos; e o carrapato vermelho ou marrom (Rhipicephalussanguineus), principal inimigo dos cães.

No Brasil, eles se reproduzem durante o ano todo e surgem com o aumento das temperaturas, normalmente do início da primavera até o final do verão. Sua presença estimula células do organismo a liberar uma substância chamada histamina, que provoca coceiras pelo corpo inteiro.

Ciclo de vida

O ciclo do carrapato dura 21 dias. Durante esse tempo, ele entra em contato com a pele do animal em três momentos:

– como larva, recém-eclodida, pois precisa de alimento e, para isso, já nasce à procura de hospedagem;

– depois de crescer, volta para o ambiente para realizar a primeira muda, transformando-se em ninfa – versão pequena de um carrapato adulto;

– a ninfa retorna novamente para seu hospedeiro, onde se alimenta, e volta a fazer mais uma muda no ambiente;

– pela terceira vez, retorna ao hospedeiro e transforma-se no chamado ‘carrapato adulto’.

Nesta fase, a fêmea pode colocar de 200 a 3.000 ovos. Ela fica no animal de 4 a 10 dias e, quando já produziu bastantes ovos, sai para colocá-los em locais como frestas de parede e piso, plantas e gramas.

Combate ao carrapato impacta na saúde animal e humana

O carrapato vermelho ou marrom costuma se localizar em locais mais protegidos, como nas orelhas, entre os dedos das patas, na virilha e nas axilas do animal, mas pode ficar em qualquer lugar do corpo do hospedeiro. Ele é responsável pela transmissão de doenças como a Babesiose canina – que destrói os glóbulos vermelhos do sangue podendo causar anemia e problemas na coagulação sanguínea – e a Erliquiose canina – que ataca os glóbulos brancos do sangue do animal podendo causar até cegueira, além de infecções por protozoários e vírus tanto nos animais quanto no homem.

A perda de sangue é uma questão importante quando se trata das infestações por carrapatos. Mais de 20 carrapatos num animal já podem ser considerados uma infestação e, em alguns casos, pode até leva-lo à morte por causa da perda de sangue ou por ficar vulnerável a outras doenças devido ao estado debilitado. Por isso, evitar que o carrapato se prolifere é essencial para o bem estar e a saúde dos animais e também dos seres humanos.

Os carrapatos adultos são facilmente encontrados em ambientes urbanos e rurais. O foco da infestação pode estar em frestas, lugares escondidos da casa, móveis, terrenos baldios ou em praças perto de casa. Portanto, além de limpar o animal é necessário cuidar, também, da limpeza e desinfecção do ambiente – principalmente se o seu animal de estimação – como os cachorros, que precisam passear – tem acesso à rua. Existem métodos caseiros, conhecidos popularmente, usados para o combate aos carrapatos.

No entanto, estes parasitas que se reproduzem rapidamente em grandes quantidades e se alojam tanto na sua casa como no meio ambiente, devem ser interceptados por profissionais especializados e treinados para a aplicação de produtos carrapaticidas com segurança, para obter os melhores resultados. A Uniprag está apta a prestar esclarecimentos e a ajudar você a combater esta praga.