Aproveite as férias coletivas para investir em controle de pragas

Prática bastante conhecida, a decretação de férias coletivas é muito utilizada por diversas empresas dos mais variados segmentos como uma forma de oferecer o descanso devido aos seus colaboradores. Entretanto, é bom destacar que este período de tempo pode ter outras utilidades para a instituição que tal aproveitar esta ocasião em que o número de pessoas circulando pelas instalações fica drasticamente diminuído para fazer trabalhos como desinfecção de reservatórios, vistorias, reformas e pequenos reparos destinados a contenção, eliminação ou prevenção de pragas.

Esta época é frequentemente procurada por indústrias, prestadores de serviço, escolas e órgãos públicos por conta da interrupção de demanda que se verifica nos finais de ano, com as festas de Natal e Ano Novo. As empresas que se utilizam dessa prerrogativa aproveitam esta ausência de pessoas, que permite realizar um tratamento mais intensivo – quando é o caso – sem que haja o risco de causar intoxicações ou reações adversas e sem afetar a produtividade.

É claro que a escolha dos produtos a serem utilizados e o potencial desse risco vão depender do serviço que se vai executar. Trata-se, por exemplo, de um período excelente para realizar a higienização de reservatórios, terminando assim a preocupação com uma eventual falta de água no tempo quente.

Indústrias optam por realizar tratamento contra cupins em divisórias e móveis que, em outras ocasiões estariam sendo ocupados e não permitiriam o trabalho. Escolas podem aproveitar as férias e a ausência de alunos, professores e colaboradores para controle e prevenção de pragas na sala de aula e espaços de convivência como bibliotecas ou cantina, assim como vistoria e limpeza em pátios e terrenos.

Vantagens e cuidados

As principais vantagens de executar trabalhos nos períodos de férias coletivas são a facilidade de execução e a segurança adicional advinda da ausência de pessoas e outros animais que possam ser afetados pelas ações, as instalações vazias facilitando o acesso e o tráfego dos profissionais que executam o serviço. Serviços esses, é bom destacar, que não devem ser feitos por amadores, portanto contrate os serviços especializados de quem entende e tem experiência, como a Uniprag, com ampla cobertura nacional e preparada para atender de forma profissional, segura e altamente qualificada as demandas de qualquer instituição.

E quais são os cuidados que a empresa cliente deve ter? Exatamente as mesmas medidas que são recomendadas para quando o trabalho é executado em períodos de atividade plena da instituição. Ou seja, os cuidados e medidas preventivas não mudam, o que varia é a forma de realizar o trabalho, os produtos a serem utilizados e o tempo de execução.

Alguns desses cuidados e medidas preventivas são indicados em geral, independentemente da praga a ser tratada. Como por exemplo manter alimentos bem acondicionados, armários e despensas limpos e fechados, verificar periodicamente os locais como frestas e cantos de armários e paredes, remover e não amontoar lixo, tampar ralos, manter desengordurados pias, coifas, fogões, maquinários, evitar comer e deixar migalhas na mesa de trabalho. Todas essas são ações que facilitam evitar que se tenha maiores problemas com formigas domésticas, ratos ou camundongos, baratas e moscas.

Mas dependendo da demanda, haverá medidas mais específicas, relacionadas diretamente à atividade – seja limpeza, controle, dedetização, desinsetização, capina química ou manejo – e ao tipo de praga a ser combatida ou evitada. Para dar um exemplo, no caso de cupins, recomenda-se o uso de madeiras que são naturalmente inatacáveis por eles, como peroba do campo, jacarandá, sucupira, copaíba e outras, bem como o uso de estantes metálicas sempre que possível em bibliotecas e arquivos. Pode ser indicada a colocação de telas para fechar sem vedar completamente aberturas em uma parede, por exemplo, que permitam entrada de pequenos animais, insetos e roedores em alguma dependência da escola, entidade, empresa contratante.